You can’t buy class I: Não há curva descendente nenhuma!

Posted on Fevereiro 20, 2013 por

4


Esta série de ideias foi retirada da caixa de comentários deste artigo do Entre Dez, e resume alguns pontos de uma conversa longa entre um dos autores do blogue e um leitor, a finais do mês de janeiro de 2013.

A ordem das citações, e as próprias frases ou parágrafos, não se encontram necessariamente pela ordem com que foram surgindo originalmente, tendo-se tentado garantir a coerência geral para passar a mensagem daquilo que é mais importante:

You Can't Buy Class

«Há dez anos que o Arsenal não anda próximo de coisa alguma, quanto mais discuti-los [títulos].»

«O Arsenal não ganha nada há alguns anos (não é há dez!), mas discute invariavelmente o campeonato até perto do fim. Só nos últimos dois anos é que não o conseguiu discutir. E, de resto, é a única equipa inglesa que segue sempre em frente na Liga dos Campeões.

Em 2002 / 2003 ficou em segundo, com 78 pontos, a 5 do United. Em 2003 / 2004 ganhou o campeonato, com 90 pontos. Em 2004 / 2005, no primeiro ano do Mourinho, ficou em segundo, com 83 pontos, a 12 do Chelsea. Em 2005 / 2006 ficou em quarto, com 67 pontos, a 15 do Liverpool, a 16 do United, e a 24 do Chelsea. Em 2006 / 2007 ficou em terceiro, com os mesmos 68 pontos do Liverpool, a 15 do Chelsea, e a 21 do United. Em 2007 / 2008 ficou em terceiro, com 83 pontos, a 2 do Chelsea e a 4 do United. Em 2008 / 2009 ficou em quarto, com 72 pontos, a 11 do Chelsea, a 14 do Liverpool, e a 18 do United. Em 2009 / 2010 ficou em terceiro, com 75 pontos, a 10 do United e a 11 do Chelsea, embora as distâncias só se tenham cavado nas últimas cinco jornadas, quando o Arsenal, então a 3 pontos da liderança, perdeu com o Tottenham e com o Wigan, empatou com o City, e perdeu com o Blackburn. Em 2010 / 2011 o Arsenal ficou em quarto, com 68 pontos, a 3 pontos do City e do Chelsea e a 12 do United, embora, uma vez mais, as distâncias só se tenham cavado no fim, pois a doze jornadas do fim era segundo, a 1 ponto da liderança, a oito jornadas do fim mantinha o segundo lugar, a 4 pontos do United, só a cinco jornadas do fim é que foi ultrapassado pelo Chelsea, e só na penúltima jornada é que perdeu a terceira posição. O ano passado voltou a ficar em terceiro, com 70 pontos, a 19 de United e City, e nunca andou perto da frente. Como vês, nos últimos dez anos, o Arsenal esteve sistematicamente a lutar pelo título. Só não foi capaz disso em 2005/2006, em 2006/2007, em 2008/2009, e no ano passado. Ou seja, em dez anos, só não andou a lutar pelo título em quatro, e tem uma média de 75 pontos por época, só superada pela média do United (84 pontos por época) e pela do Chelsea (80 pontos por época). É a terceira equipa de Inglaterra, nos últimos dez anos, e, embora não tenha os mesmos recursos que o United e que o Chelsea (nem os do City agora, nem sequer os do Tottenham, nem sequer os do Liverpool, em tempos), manteve a sua regularidade. Viu sair sistematicamente os seus melhores jogadores, muitas vezes para os rivais, e manteve praticamente a bitola. E é a equipa que melhor futebol praticou, em média, nesses dez anos, em Inglaterra.

Para ti, “discutir o campeonato” é “ser campeão”. Ora, eu não disse que o Arsenal tinha sido sistematicamente campeão, pois não? Disse que tinha lutado sistematicamente pelo título. Em dez anos, o Arsenal só não foi capaz de lutar pelo título quatro vezes.»

«Nesta época, para quem acompanha com relativa atenção, sem surpresa e dada a curva descendente daquele clube nos últimos 10 anos, está por esta altura (já) arredado do título.»

«É sem surpresa, sim, mas não pelas razões que tu achas, ou seja, por estar numa “curva descendente”. Mas queres que explique por que é que, nos últimos 2 anos, o Arsenal não tem sido capaz de lutar pelo título? Há várias razões, mas vou dar as mais óbvias.

Arsenal FA Cup

A primeira tem a ver com o orçamento do clube. Durante anos, só o United e o Chelsea é que tinham orçamentos superiores aos gunners – daí que o Arsenal conseguisse intrometer-se entre eles, e daí que não saíssem tantos jogadores seus para os rivais. Saiu o Ashley Cole para o Chelsea, e pouco mais. Nos últimos anos, porém, o orçamento do City fez com que houvesse uma quarta equipa (já nem vou falar do orçamento do Tottenham) em Inglaterra. Além de ser mais um adversário com o qual tinha de competir por uma posição entre os lugares cimeiros, era mais uma equipa com capacidade para ir buscar os seus jogadores. Foi o que aconteceu com Adebayor, Touré, Clichy e Nasri. Se juntares a isto as saídas recentes de Fabregas, Song e Van Persie, facilmente percebes que o Arsenal tem perdido sistematicamente os seus melhores jogadores todos os anos.

A incapacidade da equipa nos últimos dois anos justifica-se facilmente. O ano passado o Arsenal ficou sem o Fabregas e sem o Nasri, mas ainda ficou sem o Wilshere, que não jogou o ano inteiro, sem o Diaby, que praticamente não jogou, e teve ainda inúmeros jogadores lesionados durante a temporada. São demasiadas contrariedades, não te parece? Este ano, voltou a começar a época perdendo dois dos jogadores mais influentes da equipa: Van Persie e Song. Não achas que as dificuldades da equipa estão associadas, acima de tudo, a isto?

O Arsenal não está em curva descendente nenhuma. Se há coisa em que o Wenger tem sido extraordinário tem sido na capacidade de fazer renascer o seu Arsenal. Evidentemente que o renascimento demora tempo, e que não consegue manter um nível alto de uma época para a outra, quando perde as principais pedras da equipa. Mas, aos poucos, o Arsenal recupera. Tem sido sempre assim. Não há curva descendente nenhuma.

O Arsenal não conseguiu lutar pelo título em 2008 / 2009 (embora tenha chegado às meias-finais da Champions), depois de o ter feito no ano anterior, mas nos dois anos seguintes, com uma base mais estável, conseguiu-o. Nesses anos, não perdendo nenhum elemento influente da equipa, manteve a bitola alta. Ao perder Fabregas e Nasri, o ano passado, e ao ficar sem Wilshere e Diaby, entre outros, é evidente que não conseguiu manter o nível. Este ano, voltando a perder dois jogadores importantes, e voltando a ser errático em termos de lesões, também não foi capaz de se colar aos da frente. Mas aposto que, não saindo ninguém esta época (e é pouco provável que saia), para o ano o Arsenal volta a melhorar, e volta a entrar na discussão. Não há curva descendente nenhuma! O Arsenal só não voltou ainda a ser campeão porque, nos últimos seis anos, sempre que a equipa está numa curva crescente, perde jogadores importantes. Aliás, o simples facto de o Arsenal, em dez anos, ter ficado entre os três primeiros por sete vezes e três vezes em quarto é indicador de alguma coisa. Indica que não há curva descendente nenhuma, por mais que a queiram ver. Nem City, nem Liverpool, nem Chelsea, sequer, conseguiram esta regularidade. A única equipa, em Inglaterra, mais regular que o Arsenal é o United.»

«O Arsenal, nos próximos anos, caso nada mude na concorrência, dificilmente voltará a disputar títulos, já que a distância para os (agora) três da frente é demasiado grande.»

«Quais três da frente? O Arsenal ficou em terceiro no ano passado. O City e o Chelsea já ficaram pelo caminho na Liga dos Campeões, e o Arsenal apurou-se novamente para os dezasseis-avos-de-final, pela não sei quanta vez seguida. A que distância é que te referes? O City só fez melhor que o Arsenal nas duas últimas épocas, e há dois anos fez melhor apenas por três pontos, assim como o Chelsea. E isto apenas nas últimas jornadas, porque o Arsenal andou sempre à frente deles. Insisto: de que distâncias é que estás a falar?

Arsenal

Deixas-te levar pelas opiniões públicas com facilidade. No ano passado, quando o Arsenal perdeu por 8 – 2 com o Manchester, toda a gente disse isso, que aquilo era a prova de que o Arsenal tinha perdido definitivamente o comboio da frente. Como se um jogo, ainda por cima um jogo em que o Arsenal tinha menos sete ou oito titulares, servisse para tirar conclusões do que quer que fosse. A verdade é que Wenger, embora não tenha conseguido lutar pelo título, fê-los a todos engolir sapos, ao ficar em terceiro, à frente do Chelsea, do Liverpool e do Tottenham. O Arsenal, afinal, não estava acabado. Não há curva decrescente nenhuma.

O City está há dois anos lá em cima. É pouco tempo para perceber se vai lá ficar durante muito tempo, até porque o poderio depende dos apetites do patrão. O Chelsea ora está lá em cima, ora não está. Depende essencialmente do poderio dos outros. O Arsenal tem-se mantido sempre no mesmo sítio. Não podia ser mais regular, mas tu queres à força que esteja numa curva decrescente.»

«Mas já o era [a distância] para dois dos três, tem sido assim na última dezena de épocas, onde Manchester e Chelsea – esses sim – invariavelmente discutem os títulos.»

«Discutir títulos não é ganhar títulos. Para ti, só estes dois é que têm discutido títulos porque só eles é que os têm ganho. O Chelsea ganhou dois títulos com o Mourinho, e depois ganhou um com o Ancelloti. Depois desse terceiro título, em 2009 / 2010, o Chelsea ainda discutiu menos o título do que o Arsenal, e nas últimas três épocas tem feito pior do que a equipa que tu dizes que está em curva decrescente. Este ano gastou balúrdios e já está praticamente arredado do título, também. Vamos lá ver se no fim o Arsenal ainda não lhes passa à frente.»

.

Também desta série: You can’t buy class II: Qual nervo? e You can’t buy class III: Identidade Wenger

Imagens originais: 1, 2, 3

Tagged: